Carrinho: 0,00€
Isuu Mastodon
  • info@bio-farma.es
  • Transporte gratuito a partir de € 36,30 Espanha
Carrinho: 0,00€

SIBO: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento

SIBO é um excesso de bactérias no intestino delgado, causado por cirurgia ou doença, com sintomas como perda de apetite e diarreia. É diagnosticado com testes respiratórios ou cultura intestinal.

SIBO: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento SIBO: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento

O que é o SIBO?

O supercrescimento bacteriano do intestino delgado (conhecido como SIBO) ocorre quando há um aumento anormal na quantidade total de bactérias no intestino delgado, especialmente tipos de bactérias que normalmente não são encontradas nesta parte do sistema digestivo. Esta condição também pode ser chamada de síndrome do laço cego.

O supercrescimento bacteriano no intestino delgado geralmente ocorre quando certas circunstâncias, como cirurgia ou doença, retardam o movimento de alimentos e resíduos através do trato digestivo, criando um ambiente propício à proliferação de bactérias. O excesso de bactérias está frequentemente associado a sintomas de diarreia e pode levar à perda de peso e à desnutrição.

Embora o supercrescimento bacteriano no intestino delgado ocorra frequentemente como uma complicação após cirurgia abdominal, também pode estar relacionado a problemas estruturais e a certas doenças. Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária para resolver este problema, mas o tratamento mais comum envolve o uso de antibióticos.

 

Quais são os sintomas do SIBO?

Os sinais e sintomas de supercrescimento bacteriano no intestino delgado geralmente incluem:

  • Perda de apetite

  • Dor abdominal

  • Náusea

  • Inchaço

  • Sensação desconfortável de saciedade depois de comer

  • Diarréia

  • Perda de peso não intencional

  • Desnutrição

 

Quando devo consultar um médico para saber se tenho SIBO?

Inchaço, náusea e diarreia são sinais e sintomas de muitos problemas intestinais. Consulte o seu médico para uma avaliação completa, especialmente se você fez uma cirurgia abdominal, se tiver o seguinte:

  • Diarréia persistente

  • Perda de peso rápida e involuntária

  • Dor abdominal que dura mais do que alguns dias

Se você tiver dor abdominal intensa, procure atendimento médico imediato.

 

Quais são as causas do SIBO?

O supercrescimento bacteriano do intestino delgado (SIBO) pode ser causado por:

  • Complicações da cirurgia abdominal, incluindo bypass gástrico para obesidade e gastrectomia para tratar úlceras pépticas e câncer de estômago

  • Problemas estruturais dentro e ao redor do intestino delgado, incluindo tecido cicatricial (aderências intestinais) que pode envolver a parte externa do intestino delgado e bolsas protuberantes de tecido que se projetam através da parede do intestino delgado (diverticulose intestinal)

  • Certas condições médicas, incluindo doença de Crohn, enterite por radiação, esclerodermia, doença celíaca, diabetes ou outras condições que podem retardar o movimento (motilidade) de alimentos e resíduos através do intestino delgado.

 

Como se desenvolve o supercrescimento bacteriano no intestino delgado?

O intestino delgado, que é a maior seção do sistema digestivo, tem aproximadamente 6,1 metros de comprimento. Nesta parte do sistema digestivo, os alimentos são combinados com os sucos digestivos e seus nutrientes são absorvidos pela corrente sanguínea.

Ao contrário do intestino grosso ou do cólon, o intestino delgado geralmente abriga relativamente poucas bactérias. Isso se deve à velocidade com que o conteúdo se move por ele e à presença de bile. No entanto, quando ocorre o crescimento excessivo de bactérias no intestino delgado, os alimentos presos nesta seção tornam-se um ambiente ideal para o crescimento de bactérias. Essas bactérias podem gerar toxinas e dificultar a absorção de nutrientes. Além disso, os subprodutos da degradação bacteriana dos alimentos podem desencadear episódios de diarreia.

 

Quais são os fatores de risco para SIBO?

Os fatores que aumentam o risco de crescimento bacteriano no intestino delgado incluem:

  • Cirurgia gástrica para tratar obesidade ou úlceras

  • Um defeito estrutural no intestino delgado

  • Uma lesão no intestino delgado

  • Uma passagem anormal (fístula) entre dois segmentos do intestino

  • Doença de Crohn, linfoma intestinal ou esclerodermia envolvendo o intestino delgado

  • História de radioterapia no abdômen

  • Diabetes

  • Diverticulose no intestino delgado

  • Aderências causadas por cirurgia abdominal anterior

 

Que complicações o SIBO pode causar?

O supercrescimento bacteriano no intestino delgado pode levar a vários problemas, incluindo:

  1. Dificuldades na absorção de nutrientes: Gorduras, carboidratos e proteínas não são absorvidos adequadamente devido à quebra dos sais biliares, normalmente necessários para a digestão das gorduras. Isso leva à digestão ineficiente de gorduras e resulta em crises de diarreia. Além disso, os produtos gerados pela atividade bacteriana podem danificar a mucosa intestinal, diminuindo a absorção de carboidratos e proteínas.

  2. Competição por nutrientes: As bactérias podem competir pelos nutrientes disponíveis no intestino delgado. Além disso, os subprodutos da degradação bacteriana dos alimentos presos nesta área podem desencadear episódios de diarreia. Esses efeitos combinados do supercrescimento bacteriano contribuem para diarreia, desnutrição e perda de peso.

  3. Deficiência de vitaminas: Devido à absorção incompleta de gorduras, o corpo não consegue absorver totalmente as vitaminas lipossolúveis A, D, E e K. As bactérias no intestino delgado sintetizam e utilizam a vitamina B-12, que é essencial para o funcionamento normal do sistema nervoso. , produção de células sanguíneas e DNA. O supercrescimento bacteriano pode resultar em deficiência de vitamina B-12, que pode se manifestar como fraqueza, fadiga, formigamento nas mãos e nos pés e, em casos avançados, confusão mental. Os danos ao sistema nervoso central devido à falta de B-12 podem ser irreversíveis.

  4. Enfraquecimento dos ossos (osteoporose): Com o tempo, os danos no intestino causados pelo crescimento bacteriano anormal podem levar à absorção inadequada de cálcio, o que pode eventualmente resultar em doenças ósseas, como a osteoporose.

  5. Formação de cálculos renais: A má absorção de cálcio também pode aumentar o risco de desenvolver cálculos renais posteriormente devido ao acúmulo de minerais nos rins.

 

Como o SIBO é diagnosticado?

Para diagnosticar o supercrescimento bacteriano no intestino delgado (SIBO), você pode fazer exames para verificar se há supercrescimento bacteriano no intestino delgado, má absorção de gordura ou outros problemas que possam estar causando os sintomas ou contribuindo para eles. Os testes comuns incluem:

  • Teste de respiração. Este tipo de teste não invasivo mede a quantidade de hidrogênio ou metano exalado após beber uma mistura de glicose e água. Um rápido aumento no hidrogênio ou metano exalado pode indicar um crescimento excessivo de bactérias no intestino delgado. Embora amplamente disponível, o teste respiratório é menos específico do que outros tipos de testes para diagnosticar o supercrescimento bacteriano.

  • Aspirado de intestino delgado e cultura de fluidos. Este é atualmente o principal teste padrão para supercrescimento bacteriano. Para obter a amostra de fluido, os médicos passam um tubo longo e flexível (endoscópio) pela garganta e através do trato digestivo superior até o intestino delgado. Uma amostra de fluido intestinal é removida e depois analisada em laboratório para verificar se há crescimento bacteriano.

Além desses exames, seu médico pode recomendar um exame de sangue para verificar se há deficiência de vitaminas ou uma avaliação de fezes para verificar se há má absorção de gordura. Em alguns casos, o seu médico pode recomendar exames de imagem, como raios X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, para procurar anormalidades estruturais do intestino.

 

Qual é o tratamento do SIBO?

Sempre que possível, os médicos tratam o crescimento bacteriano excessivo no intestino delgado tratando o problema subjacente, por exemplo, reparando cirurgicamente uma alça, estenose ou fístula pós-operatória. Mas a alça nem sempre pode ser invertida. Nesse caso, o tratamento se concentra na correção de deficiências nutricionais e na eliminação do crescimento bacteriano.

1. Terapia antibiótica

Para a maioria das pessoas, a forma inicial de tratar o crescimento bacteriano é com antibióticos. Os médicos podem iniciar este tratamento se os seus sintomas e histórico médico sugerirem fortemente que esta é a causa, mesmo quando os resultados dos testes forem inconclusivos ou nenhum teste tiver sido realizado. Testes podem ser feitos se o tratamento com antibióticos não for eficaz.

Um curso curto de antibióticos geralmente reduz significativamente o número de bactérias anormais. Mas a bactéria pode reaparecer quando o antibiótico é interrompido, portanto o tratamento pode precisar ser de longo prazo. Algumas pessoas com doenças no intestino delgado podem passar longos períodos sem precisar de antibióticos, enquanto outras podem precisar deles regularmente.

Os médicos também podem alternar entre diferentes antibióticos para ajudar a prevenir a resistência bacteriana. Os antibióticos matam a maioria das bactérias intestinais, tanto normais quanto anormais. Como resultado, os antibióticos podem causar alguns dos problemas que tentam resolver, incluindo diarreia. Alternar entre diferentes medicamentos pode ajudar a evitar esse problema.

2. Após a remissão, o SIBO pode reaparecer. Algumas opções são sugeridas para manter a remissão: medicamentos que promovem a motilidade intestinal (uma vez que a motilidade é um determinante do fluxo e da estase intestinal); dieta baixa em FODMAP : até o momento, não há nenhum estudo que verifique os efeitos desse tipo de dieta no SIBO, porém, as intolerâncias a sacarídeos são comuns no SIBO, e teoricamente, uma dieta pobre em alimentos fermentáveis diminui a probabilidade de crescimento excessivo de bactérias devido a um ambiente menos favorável para isso.

Portanto, a nível dietético, parece ser a opção mais razoável manter a remissão de SIBO alcançada com a dieta.

FODMAP é a sigla para oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis.

A dieta baixa em FODMAP incentiva a ingestão de uma dieta sem esses compostos, ou seja, é na verdade uma dieta livre ou sem alimentos FODMAP.

Estas substâncias fermentáveis são carboidratos simples ou complexos encontrados nos alimentos, embora nem todos os carboidratos ou açúcares sejam fermentáveis e estejam classificados na lista FODMAP.

 

Que tipo de dieta poderia me ajudar a melhorar o SIBO?

Quais alimentos são melhores para evitar ou reduzir em uma dieta baixa em FODMAP?

Numa dieta baixa em FODMAP, é aconselhável limitar certos vegetais que tendem a causar desconforto, tais como: alcachofras, aspargos, repolho, couve-flor, couve de Bruxelas, brócolis, alho, alho-poró, cebola, ervilha, feijão verde, erva-doce, beterraba, cogumelos e outras variedades de cogumelos.

Dentro desta categoria de carboidratos fermentáveis que devemos evitar incluem:

  1. Frutose : Encontrada em frutas, mel e xaropes.
  2. Lactose : Presente em laticínios como leite, queijo e iogurte.
  3. Frutanos : Encontrados no trigo, alho, cebola, alcachofra, ervilha, aspargo, alho-poró, chicória e alimentos com fibra de inulina.
  4. Galactanos : Em leguminosas (incluindo soja).
  5. Polióis : Presentes em adoçantes como isomaltose, manitol, sorbitol, xilitol, bem como em frutas de caroço como abacate, damasco, cerejas, nectarinas, pêssegos, ameixas, entre outros.

 

Esses açúcares podem causar um aumento na quantidade de água no intestino devido à osmose, podem não ser digeridos adequadamente ou absorvidos de forma eficiente, o que pode alimentar o crescimento excessivo de bactérias na microbiota intestinal que os fermentam. Quando isso ocorre podem surgir desconfortos como diarreia, prisão de ventre, gases, distensão abdominal e dor abdominal. Se sentir algum destes sintomas, uma dieta baixa em FODMAP pode ajudá-lo a reduzi-los. Esta dieta é especialmente benéfica para pessoas com síndrome do intestino irritável e doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn.

Numa dieta baixa em FODMAP, também é recomendado limitar ao máximo a ingestão de fibras. A fibra, encontrada, por exemplo, em grãos integrais, é uma substância indigerível que pode causar sintomas semelhantes.

Além disso, é aconselhável reduzir a ingestão de produtos que contenham glúten, embora não seja necessário ser extremamente rigoroso neste ponto, pois a eliminação do trigo já representa uma diminuição significativa na quantidade de glúten na dieta.

 

Quais alimentos são adequados para uma dieta baixa em FODMAP?

Ao seguir uma dieta baixa em FODMAP, é aconselhável escolher cereais sem glúten ou com baixo teor de glúten. Os cereais mais adequados nesta dieta são:

  • Soletrado.
  • Arroz.
  • Aveia (certifique-se de que seja certificada como sem glúten).
  • Batata.
  • Querido.
  • Tef.
  • Sorgo.
  • Quinoa.
  • Tapioca.
  • Mandioca.
  • Trigo sarraceno.
  • Amaranto.

 

Quanto aos vegetais, recomenda-se começar a consumi-los cozidos. Depois de tolerá-los bem, você poderá introduzir gradualmente vegetais crus como acompanhamento de suas refeições.

As frutas recomendadas na dieta baixa em FODMAP incluem:

  • Banana
  • Limão
  • Morangos
  • tangerina
  • Laranja
  • Melão
  • Mamão
  • Amoras
  • Framboesas
  • kiwi
  • Maracujá
  • Abacaxi
  • Uva
  • Coco

 

Nesta dieta você pode consumir carne, peixe e ovos sem restrições. Quanto aos frutos secos como amêndoas, avelãs e nozes, é importante experimentá-los individualmente para avaliar a sua tolerância pessoal, devendo ser consumidos com moderação.

Além disso, você pode incluir pequenas quantidades de laticínios sem lactose ou com baixo teor de lactose em sua dieta.

Em relação aos vegetais e frutas ricos em FODMAPs, recomenda-se limitar o seu consumo a uma pequena porção do tamanho de uma bola de tênis. Comer essas pequenas porções duas vezes ao dia geralmente é mais bem tolerado do que consumir uma quantidade maior em uma única refeição.

Se sentir prisão de ventre durante as semanas de dieta, você pode introduzir aveia, que tem baixo teor de FODMAPs, mas é rica em fibras. Além disso, é importante aumentar a ingestão de água para melhorar a digestão.

3. SIBO geralmente é uma doença secundária a outra e, desde que a causa não seja eliminada, a recorrência de SIBO tem alta probabilidade. No entanto, muitas vezes é impossível eliminar a causa primária. Aqui entram em jogo os probióticos, prebióticos e/ou simbióticos com o objetivo de substituir a microbiota ?má? pela ?boa?. Um estudo recente mostra que a suplementação de probióticos pode reduzir o crescimento bacteriano, reduzir as concentrações de hidrogênio e aliviar a dor abdominal.

4. Recientemente se ha llevado a cabo un estudio prospectivo, aleatorizado y unicéntrico con pacientes con SII (Síndrome del Intestino Irriable) positivos en SIBO procedentes de la Unidad Andaluza de Trastorno Funcional Digestivo (TFD) con el fin de mejorar la calidad de vida de os pacientes.

O grupo controle seguiu uma dieta baixa em FODMAPS.

O grupo de intervenção combinou o uso de suplementos de cepas específicas de Reishi e Lion's Mane, além de Shiitake e Pleurotus.

Neste estudo foram coletados dados analíticos e perfil nutricional, teste respiratório e avaliação nutricional Biopsicossocial completa.

 

Quais suplementos dietéticos podem me ajudar a melhorar o SIBO?

Os suplementos dietéticos podem melhorar as deficiências de vitaminas, reduzir a dor intestinal e ajudar no ganho de peso:

  • Suplementos nutricionais. Pessoas com crescimento bacteriano excessivo no intestino delgado podem precisar de injeções intramusculares de vitamina B-12, bem como vitaminas orais e suplementos de cálcio e ferro.


Fontes:

https://www.mayoclinic.org/es/diseases-conditions/small-intestinal-bacterial-overgrowth/diagnosis-treatment/drc-20370172

https://www.mayoclinic.org/es/diseases-conditions/small-intestinal-bacterial-overgrowth/symptoms-causes/syc-20370168

https://www.endocrino.cat/ca/

https://hifasdaterra.com/

https://www.centrojuliafarre.es/dieta-fodmap/


produtos relacionados


CFN Sibo Exit 100ml

Preço: 10,50€

Opiniões de SIBO: causas, sintomas, diagnóstico e tratamento


Fabricantes / Laboratórios Relacionados



Artigos de blog relacionados


 
Ao clicar em 'aceite todos os cookies', você aceita que os cookies são armazenados no seu dispositivo para melhorar a navegação no site, analisar seu uso e colaborar com nossos estudos de marketing.
Configurações de cookies
Aceitar todos os cookies

Centro de preferências de privacidade

Quando você visita qualquer site, ele pode coletar ou armazenar informações em seu navegador, geralmente por meio do uso de cookies. Essas informações podem ser sobre você, suas preferências ou seu dispositivo e são usadas principalmente para fazer o site funcionar conforme o esperado. As informações geralmente não o identificam diretamente, mas podem fornecer uma experiência na Web mais personalizada. Como respeitamos seu direito à privacidade, você pode optar por não nos permitir o uso de determinados cookies. Clique no cabeçalho de cada categoria para saber mais e alterar nossas configurações padrão. No entanto, bloquear alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência no site e os serviços que podemos oferecer.

[política de cookies] [Mais informação]

Permitir todos eles


Gerenciar preferências de consentimento

Cookies estritamente necessários Sempre ativo

Esses cookies são necessários para o funcionamento do site e não podem ser desativados em nossos sistemas. Eles geralmente são configurados para responder a ações que você executa para receber serviços, como ajustar suas preferências de privacidade, fazer login no site ou preencher formulários. Você pode configurar seu navegador para bloquear ou alertar a presença desses cookies, mas algumas partes do site não funcionarão. Esses cookies não armazenam nenhuma informação de identificação pessoal.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contabilizar visitas e fontes de tráfego para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso site. Eles nos ajudam a saber quais páginas são as mais ou menos populares e a ver quantas pessoas visitam o site. Todas as informações que esses cookies coletam são agregadas e, portanto, anônimas. Se você não permitir esses cookies, não saberemos quando você visitou nosso site e, portanto, não poderemos saber quando você o visitou.

GDPR de Funcionalidad

Esses cookies permitem que o site ofereça uma melhor funcionalidade e personalização. Eles podem ser definidos por nós ou por terceiros cujos serviços adicionamos às nossas páginas. Se você não permitir esses cookies, alguns de nossos serviços não funcionarão corretamente. Ele também permite armazenamento relacionado à segurança, como funcionalidade de autenticação, prevenção de fraudes e outras proteções do usuário.

Cookies direcionados

Esses cookies podem estar em todo o site, colocados por nossos parceiros de publicidade. Essas empresas podem usá-los para criar um perfil de seus interesses e mostrar anúncios relevantes em outros sites. Eles não armazenam informações pessoais diretamente, mas são baseados na identificação única de seu navegador e dispositivo de acesso à Internet. Se você não permitir esses cookies, terá menos publicidade direcionada.

Cookies de redes sociais

Esses cookies são definidos por vários serviços de redes sociais que adicionamos ao site para permitir que você compartilhe nosso conteúdo com seus amigos e redes. Eles são capazes de rastrear seu navegador em outros sites e criar um perfil de seus interesses. Isso pode modificar o conteúdo e as mensagens que você encontra em outras páginas da web que você visita. Se você não permitir esses cookies, não poderá ver ou usar essas ferramentas de compartilhamento.


Confirmar minhas preferências

wait